segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Desapego & Felicidade



Oi meus amores, tudo bem? Eu ando bem sumida né?!..Puts! Muita correria no fim do ano, espero que  me entendam e perdoem,  também espero que vocês estejam bem.
O que vocês tem feito nesses dias turbulentos de fim de ano? Eu não tenho feito muita coisa, consegui uma folga do meu trabalho e tenho aproveitado para meditar,  fazer os projetos de 2014, caminhar e estar em contato com a natureza e ler, ler muito. Em um desses livros, achei um tema muito interessante para partilhar com vocês, " O desapego".
É muito difícil compreender o desejo – o querer muito algo – e ao mesmo tempo esquecer, deixar de lado, porém sobre tudo que li em vários artigos e livros sobre LDA é que querer algo sem se importar em ter é o ápice que nos  levará ao domínio das manifestações; ainda se pode atingir um nível ainda mais alto quando você dominar um outro nível - não se importar.
Confuso? Deixe-me explicar...
Este próximo nível a qual me refiro, não só alcança seus desejos, como também alcança a felicidade. Também é um paradoxo e é por isso que muitas pessoas acabam perdendo-o.Aqui está o paradoxo da felicidade: “Para ser feliz, você não deve se preocupar em ser feliz!"
Pense nos momentos em sua vida onde você realmente estava feliz talvez durante sua infância. Você se importava em ser feliz? Você corria atrás da felicidade? Claro que não! E mesmo assim você era feliz. Você nem estava pensando se estava ou não feliz.
Quando você corre atrás da felicidade, você fica excessivamente
preocupado consigo mesmo, e é neste momento que o ego e sua preservação entram em jogo. Você irá começar a separar-se do mundo, e se preocupar em se proteger, proteger você mesmo e sua felicidade do mundo.
Quando você começa a pensar em encontrar a felicidade, você
torna a felicidade em uma coisa. Mas você nunca encontra a tal
“coisa”, pois ela não é uma “coisa”, e sim um estado de espírito.
Manifeste todos os desejos que você quer e corra atrás deles sem se importar, mas NUNCA os amarre em sua felicidade. Quando eu me encontro triste, eu faço uma coisa para ficar feliz novamente. Você sabe o que eu faço? Eu me esqueço de mim mesma! Eu paro de me preocupar com o meu próprio sentimento de tristeza.
Na maioria das vezes, não é o sentimento ruim que dói. O pensamento de que o sentimento ruim está machucando você é o que realmente dói.
Eu quero que você pense sobre a última frase por um instante.
Então corra atrás de qualquer desejo como se fosse um jogo, mas nunca
persiga a felicidade.
Henry David Thoreau disse muito bem quando falou: “A felicidade é igual
a uma borboleta, quanto mais você corre atrás mais ela se afasta. Daí um dia você se distraí e ela pousa no seu ombro”.
            Aproveitando o post quero desejar pra vocês um Feliz 2014, repleto de grandes e importantes realizações. Que vocês encontrem a felicidade não em outras pessoas, em outros trabalhos ou outros amigos e sim encontrem a felicidade dentro de cada um de vocês.
            Que 2014 seja o ano do amor, da celebração e de inúmeras conquistas! 
            Tentarei "aparecer" mais vezes por aqui, compartilhando com vocês tudo que tenho aprendido por aí. 
            Um grande beijo pra vocês... Paz e luz!
            Boas festas!...